Eixo Estratégico
Prevenção da Violência
Sitio da Prefeitura de Fortaleza
OBSERVATÓRIO DA VIOLÊNCIA
GUARDA MUNICIPAL - IMPRENSA - CLIPPING
 
Investigados crimes ligados ao Jogo do Bicho
NOTICIA - AÇÃO DE REPRESSÃO À VIOLÊNCIA
10/12/2008 - O POVO

 

Os três acusados presos na última segunda-feira, 8, sob a acusação de promover o Jogo do Bicho em Fortaleza e Caucaia - Francisco de Assis Rodrigues Souza, o Chico Beira-Mar; Célio Vilela Lima Júnior; e Marcos Gomes - estão sendo investigados agora por crimes como lavagem de dinheiro e sonegação fiscal. A zooloteria é considerada uma contravenção penal. Por essa razão, crimes como formação de quadrilha não podem ser atribuídos a quem é autuado por esse tipo de prática.

As informações acima são do delegado Andrade Júnior, que coordenou a força-tarefa que desarticulou o retorno do Jogo do Bicho, em seu formato tradicional (com cambistas e pules), no início desta semana. Durante a ação, foram apreendidos R$ 40 mil em dinheiro. Uma marcenaria, onde as bancas eram construídas, e uma gráfica, onde as cadernetas de apostas eram impressas, foram encontradas nos fundos do estacionamento do prédio Mororó, no Centro. O local havia sido lacrado pela Polícia Federal em operação realizada há dois meses.

No dia 22 de outubro, O POVO revelou que algumas casas lotéricas da Capital continuavam a fazer apostas de Jogo de Bicho, de modo clandestino. Para tanto, bastava a relação de confiança entre apostador e o funcionário da agência. O número era impresso em uma máquina e conferido por telefone ou na própria loteria. Questionando se esse tipo de prática continuava a ocorrer e se havia sido investigada, o delegado Andrade Júnior informou que as lotéricas denunciadas pertenceriam a Marcos Gomes. Quando da investigação, acrescenta, nada foi encontrado que pudesse comprovar a prática da contravenção.

Na manhã de ontem, um ponto de Jogo de Bicho que fazia apostas foi fechado, em Pajuçara, no município de Maracanaú. A única pessoa que estava no local, um cambista, foi autuado em flagrante. O proprietário do estabelecimento, identificado pela Polícia como Roberto Araújo, permanece foragido. Cerca de dez mil cadernetas de apostas foram apreendidas. De acordo com o delegado Deodato Fernandes, do 29º Distrito Policial (Pajuçara), a fachada do prédio trazia as seguintes inscrições "Paratodos" e, logo abaixo, "Pajuçara Sorte". A ligação entre o acusado e a Organização Paratodos está sendo investigada.

ENTENDA O CASO

9/10 - Cerca de 200 homens da Polícia Federal, coordenados pela delegada federal Ana Cláudia Diniz, deflagram a operação Arca de Noé. A PF fecha o "banco" Paratodos, recolhe mais de R$ 6 milhões e prende dez diretores e gerentes. Entre eles, o bicheiro Francisco Mororó e o delegado Francisco Crisóstomo, preso por portar ilegalmente um fuzil AR-15.

10/10 - Após tomar depoimentos, sete dos dez presos são liberados pela Justiça Federal. O delegado Francisco Crisóstomo afirma que recebeu a arma do delegado Luiz Carlos Dantas, superintendente da Polícia Civil. Bicheiros foragidos se apresentam para depor.

12/10 - A antropóloga Simone Simões, estudiosa do Jogo do Bicho, afirma que o jogo não irá acabar. Apostar no "bicho" faz parte do cotidiano do brasileiro.

13/10 - Cambistas e funcionários da Paratodos fazem manifestação em frente ao "banco" pedindo a volta do Jogo do Bicho. Eles reclamam de desemprego.

16/10 - Na Assembléia Legislativa, cambistas e funcionários têm o apoio de deputados. Alguns parlamentares propõem uma ida a Brasília a fim de conseguir liminar com o presidente do Superior Tribunal de Justiça, César Asfor, para que a jogatina volte a funcionar através de medida liminar.

16/10 - O delegado Luiz Carlos Dantas, superintendente da Polícia Civil, nega em depoimento na PF que tenha repassado o fuzil AR-15 para o delegado Francisco Crisóstomo.

21/10 - O presidente do "banco" Paratodos, Francisco Mororó, dá entrevista exclusiva ao O POVO. Mororó nega os crimes apontados pela Polícia Federal e admite ser contraventor. Ele revela que repassa dinheiro do Jogo do Bicho para 68 instituições do Ceará e revela que tinha uma conta nos Estados Unidos.

8/12 - O Jogo do Bicho, em sua forma tradicional, com cambistas e pules, volta a operar em Fortaleza e Caucaia. No início da noite, a organização que comandava o retorno clandestino da prática foi desarticulada. Três pessoas foram presas e dezenas de cambistas foram autuados.



VOLTAR VERSÃO PARA IMPRESSÃO